Meu INSS

Vi essa indicação no fórum do Bastter.

O Governo Federal lançou um site onde você pode ficar a par de todas as situações em que é necessário um serviço do Instituto Nacional de Seguridade Social – INSS. É o Meu INSS. Só clicar no link para acessar.

O site oferece os seguintes serviços:

  • aposentadoria por idade;
  • salário maternidade;
  • extrato previdenciário (CNIS);
  • extrato de empréstimo consignado;
  • histórico de crédito de benefícios;
  • resultado de perícia médica;
  • extrato de imposto de renda (IR);
  • agendamentos/requerimentos;
  • carta de concessão;
  • agende sua perícia;
  • encontre uma unidade;
  • consulta de declaração de benefício – consta/nada consta;
  • simulação de tempo de contribuição;
  • consultar revisão de benefício.

Como dá pra ver, a gama de serviços oferecidos é bem grande. Para a maioria deles, é necessário fazer cadastro no site, então tenha em mãos seus documentos e o número do NIS – Número de Identificação Social. Esse número está associado ao PIS – Programa de Integração Social. No fim, das contas é a mesma coisa e são o mesmo número.

Falando em cadastro, enquanto eu testava as funcionalidades do site, este foi um grande problema. Demorei bastante pra conseguir concluir o cadastro, só finalizando esse item após várias tentativas. Então um pouco de paciência é necessário neste ponto. Talvez seja só passageiro, um problema que vai ser solucionado com o passar do tempo, já que o site foi lançado a pouco tempo, mas por enquanto é um defeito.

Tirando isso, o site me pareceu bem amigável, e nas funções que experimentei, teve um bom desempenho. Provavelmente vai apresentar uns bugs de vez em quando, mas isso é normal e até esperado, já que deve ter um número de acessos muito grande.

Não, não ganhei nada do governo para falar do site (não entendeu? leia esta matéria do Poder 360). Apenas escrevi sobre porque, querendo ou não contribuir com o INSS, concordando ou não com a reforma da previdência, somos obrigados a usar estes serviços, então qualquer coisa que venha melhorar o conforto do usuário é válida, evitando assim a experiência de ficar em uma das gigantescas filas que costumam ter nas unidades do INSS.

fila inss
Encontre o erro desta imagem 😀

Gostou? Compartilhe com seus amigos!

$$$$$$$

Tenha direito a consultoria financeira ilimitada se tornando um membro do Clube Vida Rica. É só entrar no Apoia.se e seguir as instruções.

 

Anúncios

O que é Selic?

taxa selic

No meu texto “A Selic mudou, e agora?”, vieram me perguntar o que é a Selic. E por incrível que pareça, eu não soube explicar exatamente o que era. Nos acostumamos com coisas mais complexas e acabamos de definir o básico! Por isso, é sempre bom relembrar alguns conceitos.

Como eu disse, não sabia explicar o que era a Selic. Só sabia dizer que é a taxa básica de juros, sobre a qual se baseia toda a economia brasileira e seu sistema financeiro. Mas essa resposta não me agradou, então resolvi pesquisar.

Pra isso, nada melhor do que ir até a fonte, e pesquisar diretamente no site do Banco Central do Brasil (BCB). Por sorte, eles tem uma página de glossário (bem extensa, por sinal), o que acabou facilitando meu trabalho de encontrar o que eu estava procurando. Segue abaixo a definição ipsis litteris do que é a Selic, diretamente do site acima citado:

O Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic), administrado pelo Banco Central do Brasil, é um sistema informatizado que se destina à custódia de títulos escriturais de emissão do Tesouro Nacional, bem como ao registro e à liquidação de operações com esses títulos.
As liquidações no âmbito do Selic ocorrem por meio do mecanismo de entrega contra pagamento (Delivery versus Payment — DVP), que opera no conceito de Liquidação Bruta em Tempo Real (LBTR), sendo as operações liquidadas uma a uma por seus valores brutos em tempo real. (toda a definição, com os detalhes pormenorizados de como funciona a Selic são encontrados nesta página do site do Banco Central do Brasil)

Entendeu alguma coisa? Pois é, eu também não.

Então fui pesquisar mais um pouco, e cai numa simplificação muito boa lá na página do Banco BTG Pactual (este não é um post patrocinado, não ganhei nada pra citar este banco aqui :D). Segue abaixo o resumo do que é a Selic:

O valor da Selic indica quanto o governo paga de juros para as instituições financeiras que compram títulos públicos do Tesouro Nacional.

Ora, ora, então quer dizer que eu não estava tão errado assim. Diria que a resposta que dei inicialmente passou bem perto do real.

historico Selic 2008 a 2018
Histórico da taxa Selic nos últimos 10 anos (fonte: Minhas Economias)

Acredito que com este artigo conseguiu sanar a dúvida do meu amigo que perguntou o que era a Selic, bem como me fez aprender mais um pouco sobre o nosso sistema financeiro. Essa é uma das coisas boas de ter este site, me faz estudar cada dia mais para poder trazer novidades e responder as perguntas dos leitores.

Para uma explicação ainda mais técnica sobre a Selic, e sobre tudo que ela influencia, recomendo este artigo do Instituto Mises Brasil, escrito pelo Leandro Roque.

Espero que tenham gostado, e que possam compartilhar esse artigo com seus amigos.

Qual a sugestão de vocês para fazer um próximo artigo parecido com este? Qual termo do mercado financeiro você tem desconhece e gostaria de saber mais? Existe uma infinidade de termos, por isso vou buscar falar mais sobre aqueles que suscitarem dúvidas para vocês que me lêem todos os dias. Me fale ali na caixa de comentários.

$$$$$$$

Tenha direito a consultoria financeira ilimitada se tornando um membro do Clube Vida Rica. É só entrar no Apoia.se e seguir as instruções.

Você é uma pessoa educada financeiramente?

Investir mais. Colocar o dinheiro para trabalhar a seu favor, gerando mais dinheiro. A condição para isso? Ser “financeiramente educado”. Isto independe do fato de você ter conseguido poupar pouco até agora, ou se você já possui um valor alto. Saber gastar e poupar deve ser uma atividade diária, algo que você realiza de forma natural, quase sem se dar conta.

Ser “financeiramente educado”, ou seja, tomar decisões financeiras responsáveis, em linha com os objetivos, visando buscar uma melhor qualidade de vida através do uso consciente do dinheiro.

Infelizmente a maioria das pessoas não possui esta atitude em relação às finanças pessoais. Por exemplo, você, saberia dizer com o que está gastando mais? Conhecer seus gastos no detalhe é o primeiro passo para conseguir cortá-los, estabelecendo objetivos e controlando despesas.

Para começar, é necessário definir aonde você quer chegar. Estabelecer objetivos é muito parecido com sonhar acordado, só que você deve colocar estes sonhos no papel, de forma estruturada e quantificada, e colocar alguns prazos. Não ponha limites no seus sonhos . A cada sonho, defina um prazo – curto, médio, longo. O importante é definir o tempo.

Agora você tem uma lista com os objetivos e seus prazos. Se você for tentar alcançá-los todos ao mesmo tempo, muito provavelmente não vai conseguir chegar a lugar nenhum. Então, concentre-se em um para cada fase. Assim você não corre o risco de buscar somente objetivos imediatos (e esquecer o futuro) ou de ficar esperando somente realizações futuras sem nenhuma vitória breve.

educacao financeira

Pronto, agora que você já sabe onde quer chegar e precisa pensar em COMO chegar lá. É preciso traçar uma estratégia, um plano para que você tenha uma clara visão do quanto deve economizar a cada mês. O primeiro passo é saber qual é a sua situação atual, em termos financeiros. É preciso ser bem detalhista, não adianta “ter uma idéia do quanto gasta”. Coloque no papel os ganhos (salários e outras rendas) e gastos mensais (as regulares, como aluguel e água, mas principalmente as esporádicas, como cinema e presentes). Muitas vezes esquecemos de despesas que são pequenas, mas que no total fazem a diferença no final do mês.

Se você não tem nenhuma ideia de seus ganhos e gastos, tente outra estratégia. A partir do 1º dia do próximo mês, comece a anotar toda despesa e todo ganho que tiver. No final, você já terá uma bela ideia de sua vida financeira. (para anotar seus gastos, pode utilizar as ferramentas que indiquei neste post)

Com todas as informações, você tem de um lado os seus objetivos, e de outro a sua situação financeira. E estas duas áreas de sua vida devem estar sincronizadas. A primeira pergunta a se fazer é: “Qual é o valor que devo economizar por mês para realizar os meus objetivos?”. Você está economizando mais do que o necessário; você não está economizando nada, aliás está gastando mais do que ganhando!; você está economizando, mas não o suficiente?

Você deve acompanhar detalhadamente os seus gastos, verificando como eles estão em relação ao seu objetivo. O mais interessante é o uso de algum software para melhor controle (indiquei alguns softwares neste post). Desta maneira você terá a oportunidade de analisar quanto já gastou em relação ao orçamento. Esta sem dúvida é a parte mais difícil da sua jornada rumo aos seus objetivos, principalmente por dois aspectos: registrar os gastos é chato, mas ao final do mês você terá a sensação de estar tomando conta do seu dinheiro, e não ele de você. Existem muitas tentações no caminho e você deve resistir a momentos do “vou me dar um presente, eu mereço!”. Você provavelmente vai tropeçar algumas vezes, mas não desista! Levante, rasgue o cartão e crédito, esconda o talão de cheque e siga adiante!

Fonte: Minhas Economias

$$$$$$$

Tenha direito a consultoria financeira ilimitada se tornando um membro do Clube Vida Rica. É só entrar no Apoia.se e seguir as instruções.