Você é uma pessoa educada financeiramente?

Investir mais. Colocar o dinheiro para trabalhar a seu favor, gerando mais dinheiro. A condição para isso? Ser “financeiramente educado”. Isto independe do fato de você ter conseguido poupar pouco até agora, ou se você já possui um valor alto. Saber gastar e poupar deve ser uma atividade diária, algo que você realiza de forma natural, quase sem se dar conta.

Ser “financeiramente educado”, ou seja, tomar decisões financeiras responsáveis, em linha com os objetivos, visando buscar uma melhor qualidade de vida através do uso consciente do dinheiro.

Infelizmente a maioria das pessoas não possui esta atitude em relação às finanças pessoais. Por exemplo, você, saberia dizer com o que está gastando mais? Conhecer seus gastos no detalhe é o primeiro passo para conseguir cortá-los, estabelecendo objetivos e controlando despesas.

Para começar, é necessário definir aonde você quer chegar. Estabelecer objetivos é muito parecido com sonhar acordado, só que você deve colocar estes sonhos no papel, de forma estruturada e quantificada, e colocar alguns prazos. Não ponha limites no seus sonhos . A cada sonho, defina um prazo – curto, médio, longo. O importante é definir o tempo.

Agora você tem uma lista com os objetivos e seus prazos. Se você for tentar alcançá-los todos ao mesmo tempo, muito provavelmente não vai conseguir chegar a lugar nenhum. Então, concentre-se em um para cada fase. Assim você não corre o risco de buscar somente objetivos imediatos (e esquecer o futuro) ou de ficar esperando somente realizações futuras sem nenhuma vitória breve.

educacao financeira

Pronto, agora que você já sabe onde quer chegar e precisa pensar em COMO chegar lá. É preciso traçar uma estratégia, um plano para que você tenha uma clara visão do quanto deve economizar a cada mês. O primeiro passo é saber qual é a sua situação atual, em termos financeiros. É preciso ser bem detalhista, não adianta “ter uma idéia do quanto gasta”. Coloque no papel os ganhos (salários e outras rendas) e gastos mensais (as regulares, como aluguel e água, mas principalmente as esporádicas, como cinema e presentes). Muitas vezes esquecemos de despesas que são pequenas, mas que no total fazem a diferença no final do mês.

Se você não tem nenhuma ideia de seus ganhos e gastos, tente outra estratégia. A partir do 1º dia do próximo mês, comece a anotar toda despesa e todo ganho que tiver. No final, você já terá uma bela ideia de sua vida financeira. (para anotar seus gastos, pode utilizar as ferramentas que indiquei neste post)

Com todas as informações, você tem de um lado os seus objetivos, e de outro a sua situação financeira. E estas duas áreas de sua vida devem estar sincronizadas. A primeira pergunta a se fazer é: “Qual é o valor que devo economizar por mês para realizar os meus objetivos?”. Você está economizando mais do que o necessário; você não está economizando nada, aliás está gastando mais do que ganhando!; você está economizando, mas não o suficiente?

Você deve acompanhar detalhadamente os seus gastos, verificando como eles estão em relação ao seu objetivo. O mais interessante é o uso de algum software para melhor controle (indiquei alguns softwares neste post). Desta maneira você terá a oportunidade de analisar quanto já gastou em relação ao orçamento. Esta sem dúvida é a parte mais difícil da sua jornada rumo aos seus objetivos, principalmente por dois aspectos: registrar os gastos é chato, mas ao final do mês você terá a sensação de estar tomando conta do seu dinheiro, e não ele de você. Existem muitas tentações no caminho e você deve resistir a momentos do “vou me dar um presente, eu mereço!”. Você provavelmente vai tropeçar algumas vezes, mas não desista! Levante, rasgue o cartão e crédito, esconda o talão de cheque e siga adiante!

Fonte: Minhas Economias

$$$$$$$

Tenha direito a consultoria financeira ilimitada se tornando um membro do Clube Vida Rica. É só entrar no Apoia.se e seguir as instruções.

Anúncios

2 comentários em “Você é uma pessoa educada financeiramente?

  1. Conhecemos o caso de um “poupador compulsivo”, um tipo que não pensa duas vezes antes de sacrificar o conforto da família para assegurar o depósito do mês. Traçando um paralelo com o post, ele é um excelente exemplo da pessoa que, apesar de poupar e deter algum controle sobre seus gastos, também passaria longe de ser “financeiramente educado”.

    Curtido por 1 pessoa

    1. boa! ser gastador compulsivo é horrível, mas ser poupador compulsivo também. a verdade está no caminho do meio, no equilíbrio. Vou escrever um texto sobre isso. Obrigado pela ideia!

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s