Guia de Viagem – Santiago, Chile

No último mês de agosto, tirei uma semana de férias e passei uma semana em Santiago, capital do nosso vizinho Chile.

Como é um país bem próximo e muito visitado por brasileiros, decidi fazer este guia aqui com algumas dicas a respeito de passagens, hotéis, transporte, passeios e restaurantes.

Passagens

Adquiri minhas passagens através da Delatorre Turismo, paguei um preço bem bacana e foi uma viagem muito confortável, pela Avianca. Gostei que as poltronas são bem espaçadas, e pra quem é alto como eu, isso faz muita diferença quando se fica 4 horas sentado durante o vôo. O serviço de bordo foi muito bom, não tenho do que reclamar. Pretendo viajar de novo com eles no futuro.

Cordilheira dos Andes
Cordilheira dos Andes vista lá de cima!

Hospedagem

Segundo as dicas de vários sites de viagens, um dos melhores locais para se hospedar em Santiago é no bairro de Providencia. E realmente, as dicas foram bem acertadas. O bairro é bem servido pelo metrô, ônibus e tem muito comércio: restaurantes, farmácias, supermercados, bares, lojas. Enfim, tem de tudo, o que é excelente pra quem viaja e sempre acaba precisando comprar uma coisa ou outra porque esqueceu de por na mala.

Ficamos hospedados no CasaDeTodos, e recomendo! A cama era confortável, os recepcionistas muito atenciosos, nos ajudaram muito. O café da manhã também tinha várias opções e era bem saboroso. A localização do hotel é muito boa, ficando a poucos metros da estação Manuel Montt do metrô, o que facilitou enormemente nossos deslocamentos, principalmente nos passeios dentro da cidade.

A única desvantagem é que o quarto não era dos maiores, mas como ficávamos no hotel apenas para dormir, não foi um grande problema.

Eu fiz minha reserva através do Hoteis.com, e como ensinei em outro post, é um jeito bacana de acumular milhas mesmo sem ter cartão de crédito.

Embalse El Yeso
Embalse El Yeso

Transporte

No dia que chegamos, pegamos uma van da Transvip para ir do aeroporto até o hotel. Foi um preço razoável e uma viagem rápida, mas fique atento: se você está com pressa de chegar ao hotel, pegue um táxi ou um transfer exclusivo. As vans funcionam no esquema de lotação, então você corre o risco de dar um belo tour por Santiago antes de chegar ao hotel, dependendo do destino dos outros passageiros.

Na volta, contratamos um transfer do próprio hotel, para evitar atrasos na chegada até o Aeroporto.

Nos passeios por Santiago, usamos basicamente o metrô e as pernas. O metrô leva a praticamente todas as atrações turísticas da cidade, e permite trocar de linha (são seis linhas no total) pagando apenas uma única passagem. O cartão também tem integração com o sistema de ônibus, mas não chegamos a utilizar este tipo de serviço.

Uma curiosidade: o preço da passagem no metrô varia com o horário! Nos horários de pico a passagem custa mais caro, enquanto ela fica mais barata fora desses momentos. Se você conseguir planejar bem seus passeios, pode economizar uns trocados

Mas como toda grande cidade, tome cuidado nos lugares lotados. Infelizmente, minha esposa foi vítima de um trombadinha e teve seu celular furtado dentro do vagão do metrô. A segurança da estação e a polícia nos atenderam bem, mas infelizmente não tinham muito o que fazer. Então, quando estiver em locais com aglomerações, deixe seus pertences muito bem guardados, principalmente carteiras, celulares e documentos.

A cidade também tem os serviços de Uber e táxi, mas como não utilizamos então não irei opinar sobre eles.

Passeios

Existe uma infinidade de agências de turismo na cidade, o que complica bem a escolha. Como não estava afim de perder horas pesquisando qual era a melhor, ou a mais barata, decidi confiar nas indicações do hotel e correu tudo bem. A vantagem era ser pego e depois deixado no próprio hotel, sem necessitar de deslocamentos extras. O pagamento também podia ser feito no hotel, o que também é uma facilidade.

Valle Nevado
Valle Nevado

Contratamos 3 passeios direto no hotel: as vinícolas Concha Y Toro e Undurraga, o passeio até os parques de neve de Valle Nevado e Farellones, e o passeio até o Embalse El Yeso. As agencias que fizeram os passeios foram a TAC e a Snow Tours. Essa última tem vários brasileiros na equipe, guias em português, então é uma bela pedida se você não consegue se comunicar em espanhol.

Os demais passeios na cidade fizemos de metrô e trem: conhecemos o Costanera Center, o Cerro San Cristóbal, a Igreja de Nossa Senhora da Divina Providencia… como disse lá em cima, dá pra conhecer quase tudo de Santiago usando só o metrô e as pernas.

Restaurantes

Undurraga
Viña Undurraga

Confesso, comemos muito em fast food 🙂

Mas a cidade tem muitos bons restaurantes, deixo aqui a indicação de alguns:

La Piccola Italia

Galindo

El Garaje de la Canchita

Hard Rock Cafe

Insert Coin – Bar Gamer

Os preços variam muito, tem coisa barata e coisa cara, vai depender do seu gosto e também do seu bolso. E pelo menos nos restaurantes que fomos, a comida é muito bem servida. Se você não come muito, um prato serve tranquilamente duas pessoas.

Moedas e dinheiro

Na viagem, usei dinheiro em espécie apenas no metrô. Para todas as outras coisas, usei meu Mastercard da Nubank. (não resisti ao trocadilho). Mesmo com a conversão e o IOF, a cotação do cartão de crédito não foi tão diferente da cotação que vimos nas casas de câmbio. Então, por motivo de segurança, preferi usar o cartão ao invés de andar com um pacote de pesos no bolso.

Teleférico Cerro San Cristóbal
Teleférico no Cerro San Cristóbal

Em alguns lugares, onde os negócios são tocados por brasileiros, é possível fazer o pagamento com reais. Mas sempre pergunte antes se isso é possível. A mesma coisa vale para o cartão de crédito: alguns poucos lugares não aceitavam o pagamento dessa forma.

Dica bônus: quando fizer pagamentos no Chile através das maquininhas, é normal pedirem para confirmar o preço total, e em vários locais tive que colocar a senha duas vezes. No começo achei estranho, mas depois acostumei.

Sites de referência

Para fazer minhas pesquisas antes da viagem, visitei muito os sites Viaje na Viagem e o Nós no Chile. São duas excelentes fontes de informação sobre o país, recomendo a visita.

Espero que esse post seja útil para os futuros viajantes que acompanham o Vida Rica!

$$$$$$$

CURSOS| COACHING | BEBLUE | CLUBE VIDA RICA | CANAL NO TELEGRAM

Anúncios

6 comentários em “Guia de Viagem – Santiago, Chile

  1. Quanto Uber e Taxi.
    Taxi tome cuidado, vários relatos de passar a perna no troco. Ou trocam a nota por outra.
    Meu amigo, perdeu uns 200 reais nessa brincadeira.

    Uber. Funciona. Mas é impressionante a demora, Varias vezes, eles cancelam a viagem, e ai vc espera outro, que cancela e assim vai.
    Como não é legalizado em alguns lugares é meio complicado pedir, principalmente onde tem ponto de taxista.

    Eu sinceramente não me senti muito seguro lá.
    Por varios momentos, senti medo de ser assaltado. E por varios momentos os proprios chilenos vinham falam para tomar cuidado com tal coisa e etc.

    Enfim, não tenho essa vontade de voltar. Tlz volte algum dia. Mas prefiro viajar por paises e lugares que não tenha essa preocupação de ser furtado.
    Já pensou se é um passaporte por exemplo?

    Curtido por 1 pessoa

    1. Obrigado pelo comentário, Alex, principalmente por falar sobre o Uber e os táxis. Como eu não usei nenhum lá, não tinha mesmo como opinar. E sobre a sensação de segurança, pelo que conversei com alguns chilenos, tem a ver com o bairro. Onde eu estava, em Providencia, as pessoas diziam ser mesmo mais seguro do que em outras regiões da cidade.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s