A Metamorfose

Decepção.

É assim que posso resumir a obra A metamorfose, de Franz Kafka.

Foi a primeira vez que li um livro de autoria do tcheco, e devido a sua fama, confesso que esperava coisa melhor.

Achei uma história de ficção lenta, sem graça, e com um final totalmente desinteressante. Tive a sensação de perder meu tempo lendo.

É provável que os críticos literários da web fiquem horrorizados com o que eu disse, mas paciência. Achei ruim. A única vantagem de ter sido ruim é que assim aprendo a valorizar ainda mais o que é bom.

Espero que não me decepcione quando ler outras obras dele, como O Processo.

Se você se interessar pela obra do tcheco, pode adquirir no link abaixo:

A Metamorfose – Franz Kafka

41bwxpr-nvl._sy478_bo1204203200_

$$$$$$$

LOJA MENTORIA BEBLUE CLUBE VIDA RICA | CANAL NO TELEGRAM

Anúncios

6 comentários em “A Metamorfose

  1. Marcelo,

    Há muitos que não se dão mesmo com a literatura do Kafka — porque há ali um estilo deveras específico, singular (daí o termo kafkaesque: quando há qualquer coisa complicada/intricada/burocrática/melindrosa/complexa/ilógica etc.).

    E se me permite uma pequena correção. Kafka não era russo — nascera em Praga, durante o Império Austro-Húngaro (República Tcheca, atualmente).

    Abraços,

    P.

    Curtido por 1 pessoa

      1. Imagina, não há de quê.

        Sugeriria também, se ainda quiser dar chances ao Kafka, que experimentasse as traduções do Modesto Carone — dos livrinhos lançados pela Companhia das Letras.

        Abraços e bom fim-de-semana para si,

        P.

        Curtido por 1 pessoa

          1. Eu me manteria aos contos, às novelas — deixaria os romances mais complexos (vide O processo e/ou O castelo) para depois. Por exemplo, o quarto volume da coleção organizada pelo próprio Carone à Companhia das Letras, Um artista da fome / A construção, com narrativas breves… E há também a coletânea Essencial (também traduzida pelo Carone), lançada pela Penguin Companhia. Tentaria ler sem pensar no que já falaram a respeito de Kafka (e tanto já se falou). O texto dele é enigmático de propósito; permite diversas interpretações.

            Mas já estou a divagar…

            Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s