Um outro ponto de vista sobre o time-sharing

Outro dia postei um texto com meu ponto de vista sobre os imóveis de multipropriedade, também conhecidos como time-sharing ou condo-hotel.

Um seguidor no Twitter (siga lá em @_vidarica_) discordou de alguns pontos do meu texto e se propôs a relatar sua experiência como dono de um imóvel de multipropriedade.

Deixo vocês com o relato do Jerônimo de Oliveira Costa. Boa leitura!


Olá!

Como conversado no Twitter, estou entrando em contato para contar minha experiência como um proprietário de um imóvel com regime de multipropriedade. Vamos lá.

Vou começar explicando como conheci e fui convencido a comprar um imóvel nesse regime. Em 2017 fiz uma viagem de férias a Caldas Novas/GO, e lá é um dos berços dessa modalidade de negócio encabeçado pela empresa WAM (empresa na qual adquiri meu imóvel) empresa fundada naquela região. Após muita abordagem dos captadores nas ruas (quem vai em cidades turísticas como Penha/SC, Olímpia/SP e Caldas Novas/GO sabe como é chato a quantidade e a abordagem desses captadores de azul nas ruas oferecendo Deus e o mundo para que você ouça uma apresentação do negócio), recusei todas (afinal estava lá para curtir a cidade).

Exemplo de empreendimento de multipropriedade em Olímpia/SP
Exemplo de empreendimento de multipropriedade em Olímpia/SP. Fonte: WAM Brasil

No fim dos dias de estadia na cidade por conta própria minha esposa resolveu ir direto na central de vendas e conhecer o negócio por curiosidade. Daí então, encantada, ela me convenceu a ir conversar com o gerente que estava apresentando a ela o modelo de negócio, ao analisar o negócio e parecer bastante atrativo fiz a compra de uma cota imobiliária de 5 semanas em um resort já em funcionamento (o Atrium Thermas Service). O modelo, da forma que fechei o negócio (existem várias formas de negócio e empresas que trabalham com cotas imobiliárias) funciona assim:

Sou proprietário da cota 1 (tabela abaixo) de um dos apartamentos do resort. Quando você compra, você escolhe uma das cotas da tabela com as datas que mais lhe atraem. Analisando a tabela existem semanas em feriados, alta e baixa temporada, e temos o livre arbítrio para escolher aquela que achamos mais interessante seja para locar ou usufruir. Eu escolhi a cota 01 pois tiro férias em maio e tem 2 semanas no mês que eu posso utilizar.

tabela semanas cotas multipropriedade

Divido o imóvel com 11 proprietários. A cota 12 fica com a administradora, e com a receita dessa cota a administração faz a manutenção e modernização do apartamento.

Existem 2 opções para operar as minhas semanas: ou deixo no pool de locação (o hotel aluga minhas datas quando eu não as uso e todos os proprietários participantes do pool dividem os lucros) ou tiro do pool e usufruo da maneira que achar melhor. Deixo no pool apesar do lucro baixo pois quando uso minhas semanas eu tenho direito a entrada gratuita nos três parques que a empreendedora possui na cidade e caso eu alugue por fora eu aviso que estarão usando minha semana e aquela semana é retirada do pool.

Como visto, no nosso caso, as datas são muito organizadas, não temos esse problema de quem reserva primeiro ou coisa do tipo. Cada um tem direito a uso da sua semana, e caso queira usar outra semana tem que avisar previamente para ver se a disponibilidade de troca. Caso queira usar em outro lugar (Penha/SC, por exemplo) tenho que pagar uma taxa e uso minha semana em outra região.

Vamos aos prós e contras na minha visão como proprietário.

Contras

Quando compramos nos contam que é um investimento que terá um retorno alto. Isso é mentira. É um imóvel para lazer, que pode render algum retorno, mas é algo que tem que ser adquirido não para investimento e sim para lazer! O único contra é que os vendedores prometem muita coisa que não é verdade, o que frustra um pouco as pessoas até entenderem o principio da multipropriedade.

Fuja da roubada de comprar um imóvel na planta, porque pagará e não poderá usufruir de imediato. Opte por um empreendimento em funcionamento para ter retorno e usufruir imediatamente.

O pessoal que oferece é muito chato, apelativo e as vezes inconveniente, sufocando os turistas, o que afasta um pouco os potenciais compradores.

Prós

Tenho mais prós do que contras até o momento. Todas as semanas que não usei o imóvel consegui alugar para alguém com valor muito bom, pois tem muita procura, a cidade é atrai muitos turistas. Não tenho despesas grandes com manutenção e limpeza (além da cota 12, pago 140,00 de condomínio) como teria se fosse o único proprietário de uma casa na praia ou de um apartamento em alguma cidade turística. Uso somente quando posso e não tenho que me preocupar com segurança, por exemplo.

A recepção e cuidado dos funcionários é excelente. Posso conhecer diversas cidades sem precisar fechar pacote, pois a empresa possui diversos empreendimentos em diversos locais. A interação com as pessoas, todas as semanas coincidem e os proprietários se encontram o que forma laços de amizade com pessoas de diversos lugares.

Tiveram semanas que não pude ir e ao invés de alugar deixei meu sogro ir, meu cunhado, que voltaram de férias plenamente satisfeitos com os dias de sossego, e arcaram somente com o transporte.

Finalizando, quando você entende que o sistema é para lazer e não para lucrar e usa com esse intuito, se torna uma excelente opção de negócio, porém quando se compra com a expectativa de ter retorno financeiro somente é grande a certeza de se frustrar.

O sistema que fechei é extremamente organizado e tranquilo de usar.

Espero ter ajudado com meu relato.


Deixo aqui meus sinceros agradecimentos ao Jerônimo pelo seu relato. Espero que seja útil para mais leitores.

Até!

$$$$$$$

Se você gosta de ler, participe do nosso clubes de leitura, basta se inscrever no link abaixo:

Clube do Livro no Facebook do Café Resiliente

$$$$$$$

Também estamos no YouTube e no Instagram!

$$$$$$$

LOJA MENTORIA BEBLUE CLUBE VIDA RICA | CANAL NO TELEGRAM

Anúncios

2 comentários em “Um outro ponto de vista sobre o time-sharing

  1. Interessante ler isso. Vê-se que tudo está no entendimento: se a pessoa compra um passivo entendendo que é um passivo, encontra até um jeito de ganhar um dinheiro com ele.

    O que não dá certo e é muito mais comum é gente comprando passivo pensando que é ativo. E aí se ofende quando a gente diz que casa própria, carro zero etc tira dinheiro dele.

    Abraços, Marcelo!

    Pinguim Investidor

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.