Aprenda a evitar brigas com seu parceiro quando um dos dois estiver desempregado

Aqui no Vida Rica já escrevi muitas vezes sobre dinheiro e relacionamento, como vocês podem ver nos textos abaixo:

Dinheiro e casamento

Cuidar do seu dinheiro faz seu casamento mais feliz!

Como falar de dinheiro em um relacionamento?

A história do barco à remo

Inclusive, num dos primeiros posts deste site, coloquei um vídeo da Nathália Arcuri sobre o tema, com uma ideia bem simples para dividir as contas e o investimento da casa entre os parceiros. Vou replicá-lo aqui para facilitar:

Claro, você não precisa dividir até os centavos proporcionalmente, mas a ideia dela é boa, e serve pra dar um norte quando o casal sentar pra discutir isso. Outros autores de finanças pessoais aconselham métodos parecidos, logo, me parece ser quase um consenso nessa área.

Mas esses dias um leitor me questionou sobre algo que eu ainda não havia falado: como fazer com o dinheiro, quando somente uma pessoa trabalha em casa?

Adulto também ganha mesada

Sim, por mais estranho que isso possa parecer, a mesada é uma ótima saída para esses casos. E falo por experiência própria, já que quando nos casamos, minha esposa estava desempregada e somente eu trabalhava, então precisamos lançar mão desse expediente para administrar o dinheiro da casa.

Na verdade é uma coisa bem simples de ser feita.

O primeiro passo assim que receber o dinheiro é fazer o que sempre digo aqui: pague-se primeiro, reservando o montante para sua independência financeira, para a formação e multiplicação do seu patrimônio. Faça isso já pensando na educação dos seus filhos, na compra da casa da família, na sua aposentadoria. Esse passo é essencial e fundamental para o seu futuro.

O segundo passo, com o que sobrar do dinheiro, é usar para já pagar todas as contas da casa: aluguel, condomínio, impostos, alimentação, transporte, escola, energia, água, etc. Agora sim, com o que sobrou do seu dinheiro, vamos a mesada.

Na época, eu separava o dinheiro que sobrava em três partes, da seguinte forma:

  1. uma parte era para nosso lazer em conjunto e gastos extras da casa: pequenos consertos, presentes, passeios, refeições fora de casa, cinema, teatro, shows, enfim, tudo aquilo que fazíamos juntos.
  2. minha mesada: esse valor eu poderia usar da maneira que preferisse, sem precisar dar satisfação a ela. Comprava roupas, sapatos, livros, jogos de video-game, guloseimas, enfim, o que eu quisesse ou precisasse.
  3. a mesada dela: a mesma coisa aqui. Ela podia gastar em qualquer coisa, sem precisar me dar satisfação sobre onde e como gastava.

Detalhe importantíssimo: apesar de apenas eu trabalhar, as nossas mesadas eram iguais. Afinal, quando vocês se casam, não existe mais dinheiro seu e dinheiro dela. Existe apenas o dinheiro do casal. O problema financeiro de um é o problema financeiro dos dois, bem como a prosperidade e riqueza de um na verdade é de ambos. Se não quer dividir suas contas e seus lucros com seu parceiro, não case. Fique apenas namorando, more em casas separadas, não faça planos para o futuro.

Quando se casa, não se divide apenas o teto, a cama e o guarda-roupa, mas também as contas e o dinheiro.

city landscape sky people
Foto por Yuri Catalano em Pexels.com

Espero que esse texto tenha sido útil e esclarecido a dúvida do nosso leitor. Se você tiver alguma outra sugestão para lidar com isso, deixe nos comentários.

Até!

$$$$$$$

Se você gosta de ler, participe do nosso clube de leitura, basta se inscrever no link abaixo:

Clube do Livro no Facebook do Café Resiliente

$$$$$$$

Também estamos no YouTube e no Instagram!

$$$$$$$

LOJA MENTORIA BEBLUE CLUBE VIDA RICA | CANAL NO TELEGRAM

Anúncios

5 comentários em “Aprenda a evitar brigas com seu parceiro quando um dos dois estiver desempregado

  1. Marcelo, grande post.
    Essa sacada de não pedir satisfação do dinheiro é o segredo para não brigar e discutir sobre o mesmo. Eu demorei a entender isso, mas todos nós temos nossos custos pessoais, e dar o dinheiro pedindo satisfação, brigando por cada centavo, não vale a pena.
    Mas é claro que cabe uma boa administração das outras despesas da casa e, principalmente, o sagrado investimento.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Oi Marcelo, gostei do post.

    Essa parte do orçamento em conjunto realmente é um ponto de fricção pra muita gente mesmo. Eu nunca tive problema no relacionamento com isso, mas entendo bem como é difícil “ser feliz de estômago vazio.”

    A Sra Pinguim (e eu) ficou muito tempo em downtime durante um período, mas durante esse tempo eu nunca briguei ou repudiei ela por não “contribuir” à renda da casa. Muito pelo contrário, encorajei-a inclusive a trilhar caminho próprio e tentar empreender por si mesma. Graças a deus hoje estamos de volta os dois à ativa, e a situação estabilizou. Mas o mindset continua o mesmo.

    Pra mim contou muito ter ganhado o coração dela especialmente no âmbito de investir: se ela não tivesse visto o valor nisso, seria bem provável que não estaríamos juntos hoje.

    Abraços e seguimos em frente!

    Pinguim Investidor
    https://pinguiminvestidor.com –> novo domínio finalmente!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.