Europa comunista

Saudações, leitoras e leitores!

Como toda sexta-feira, temos aqui mais um livro! O título de hoje é Europa Comunista, do Raiam Santos. Neste livro, o autor viajou por alguns países do leste europeu, da antiga cortina de ferro, para conversar com locais e entender melhor a cultura do local e como a queda do comunismo afetou a região. É um livro de opinião, claro, e também baseado na opinião dos locais que conversaram com o escritor. Obviamente, não espere um tratado histórico cheio de fontes, referencias e pesquisas, apesar de indicar em cada capítulo documentários e livros que tratam sobre cada país visitado. Fizeram parte do roteiro Eslováquia, Hungria, Sérvia, Croácia, Bósnia, Kosovo, Montenegro, Macedônia do Norte e Albânia, e o livo também serve pra quebrar um pouco daquela imagem de tiro, porrada e bomba que eu tinha, afinal, crescendo na década de 1990, eram várias matérias de Jornal Nacional falando sobre a guerra nos Bálcãs.

Abaixo, alguns trechos do livro:

O trem que conecta Viena e Bratislava cobriu os 80 quilômetros e cruzou uma fronteira internacional em exatamente sessenta e cinco minutos. O mais interessante é que eu era um dos pouquíssimos turistas naquele trem. A grande maioria dos passageiros era gente trabalhadora saindo dos escritórios do centro da capital da Áustria e voltando para seus respectivos lares na Eslováquia.

Assim como Campinas está para São Paulo, Duque de Caxias está para o Rio de Janeiro ou Betim está para Belo Horizonte, Bratislava me pareceu ser uma espécie de “subúrbio low-cost” da capital austríaca.

Para reforçar essa ideia, a União Europeia criou vários programas de desenvolvimento e fundos de coesão para trazer os novos membros do clube aos padrões de vida dos países mais cascudos como a Alemanha, a Inglaterra e a Holanda. Olha o comunismo do século XXI aí! Como eles fazem isso? Canalizando o dinheiro que os países ricos pagam nos impostos e entregando aquela grana para os membros mais pobrezinhos e recém-chegados tipo a Eslováquia.

Vale lembrar que as religiões eram inimigas dos líderes comunistas então eles faziam de tudo para erradicar a influência das igrejas sobre a população local. O novo regime da Hungria prendeu arcebispos, proibiu casamentos religiosos, fechou todas as escolas cristãs, trocou o nome de praças que homenageavam santos e até aboliu o Natal. Isso mesmo que você leu! A partir dos anos 1950, o Natal era simplesmente chamado de “Feriado do pinheiro”.

Os subúrbios de Budapeste estão abarrotados de prédios pré-fabricados como aqueles que descrevi no tópico sobre Petrzalka no capítulo anterior. Uma característica comum dos apartamentos desses espigões era a parede extremamente fina. Sim, os engenheiros e arquitetos da época do comunismo pesado eram frios e calculistas. As paredes eram finas para que os próprios cidadãos ajudassem o Estado no monitoramento de traíras.

Qual foi a ideia do bloco ocidental para criar um país “desenvolvido” no meio do Leste Europeu? Simplesmente gerar inveja nos vizinhos da Cortina de Ferro! “Vamos encher esses húngaros de empréstimos a juro zero e mostrar a esses cabeças-duras do leste que capitalismo faz bem para o ser humano.“ Nessa linha de pensamento, a Hungria foi o primeiro país do leste europeu a liberar a Coca-Cola e também recebeu a primeira unidade do McDonald’s na região, alguns anos antes da queda da União Soviética.

Eu compararia a situação atual da Sérvia com a dos nossos hermanos argentinos: foram uma potência mundial no passado, regrediram em relação ao resto do mundo e vivem deprimidos na nostalgia de que antigamente as coisas eram muito melhores do que são hoje.

Na minha humilde opinião, educação de qualidade é aquela que prepara você para o mundo. Sabendo que uma porcentagem ínfima da população mundial fala o idioma sérvio, o governo local investiu na educação bilíngue e botou todo mundo para falar inglês. É impressionante como 100% dos jovens sérvios falam inglês e uns 80% dessa galera fala o inglês perfeito, com pouquíssimo sotaque e zerado de erros gramaticais e de concordância.

Os edifícios no caminho entre a rodoviária e o centro da cidade tinham umas 20 marcas de bala cada. Fora isso, a cidade está repleta de um negócio chamado Rosas de Sarajevo. Você anda pela rua e vê certas manchas vermelhas no chão que parecem ser de sangue (na verdade, elas são feitas de resina vermelha). Cada uma daquelas manchas representa uma bomba que explodiu e matou um ou mais cidadãos de Sarajevo durante aquele terrível acontecimento histórico que ficou conhecido como Cerco de Sarajevo.

800px-markale_1
Rosa de Sarajevo

Essa crise de identidade do cidadão do Kosovo com relação a Albânia se parece muito com o que acontece lá no sul da Califórnia com os imigrantes mexicanos recém-chegados. Os caras querem direitos de cidadãos dos Estados Unidos, mas protestam carregando bandeiras do México. Pô irmão, se você é tão mexicano assim por que você meteu o pé de lá e veio dar as caras aqui nos Estados Unidos? Se você gosta tanto do Kosovo e lutou tanto pela independência e pelo reconhecimento internacional do país ao longo das duas últimas décadas, por que você ostenta tanto a bandeira da Albânia?

Big Albania é a união dos povos muçulmanos de origem albanesa do Kosovo, do oeste da Macedônia, do sul de Montenegro e da própria Albânia. O sonho deles é juntar essa galera toda e criar uma espécie de estado islâmico fincado no meio da Europa.

Você pode comprar o livro na Amazon no link abaixo, e se não tem o Kindle, pode baixar o aplicativo para celular, tablet ou computador neste link.

EUROPA COMUNISTA – RAIAM SANTOS

51xaqxoppkl

Abraço e até o próximo livro!

cropped-porco-avatar1

Para aprender mais sobre imóveis, compre meu livro:

Tijolos – Tudo o que você precisa saber antes de alugar, comprar, vender ou financiar um imóvel

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.