Financiamentos Pós-Fixados: o resultado já era esperado

Foto por Andrea Piacquadio em Pexels.com

Financiados e financiadas, saudações!

Lá pelos idos de 2019, a grande novidade do mercado imobiliário pré-pandemia era a possibilidade de fazer financiamentos atrelados a uma taxa fixa + IPCA. Os juros seriam calculados da mesma maneira que um Tesouro Direto IPCA+, a única diferença é que agora seriam contra você.

Na época, foi um oba-oba geral, com muita gente aderindo, dizendo que era um ótimo negócio, mesmo com os riscos. Eu achei arriscado, já que no Brasil até o passado é incerto, como diria o ex-ministro Pedro Malan.

As previsões em 2019 eram otimistas pelo fato do IPCA estar bem baixo, até abaixo da meta. Mas, como sabemos, a inflação é imprevisível. Não dá pra saber como será o índice de aumento dos preços daqui 1, 5, 10 ou 20 anos.

E o esperado aconteceu. Com o IPCA elevado, as parcelas dos financiamentos dispararam, e isso já afetou o bolso de muita gente: https://www.metropoles.com/brasil/com-alta-da-inflacao-uso-de-ipca-na-compra-de-imoveis-vira-problema.

Então, fica a dica: sempre que for entrar em uma dívida, principalmente de longo prazo, opte sempre por um índice fixo de juros. Jamais escolha um índice que seja tão volátil como o IPCA ou o IGPM, por mais que a situação econômica do país pareça controlada quando você estiver contratando o financiamento.

No Brasil, até o passado é incerto.

Sugestão de Leitura


Processando…
Sucesso! Você está na lista.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.