CARTA PARA UM JOVEM ESTAGIÁRIO

Campinas, 20 de dezembro de 2021

Olá, caro leitor. Tudo bem? O texto de hoje é endereçado a você, estudante que está fazendo um estágio ou pensando em estagiar no próximo ano. Lembro com saudosismo do tempo em que fiz meu estágio de conclusão de curso, foi lá em 2005. Faz exatos 16 anos, pois recebi a notícia por e-mail em dezembro, que havia sido aprovado no Programa Estágio de um grande Banco de Atacado. 

Depois de passar por vários processos, receber o e-mail de confirmação de que a vaga era minha, foi demais. Na época, não havia o WhatsApp, mas pelo SMS e por ligações, falei para muita gente. Enfim, o sonho de trabalhar em um grande banco e passar por uma rigorosa seleção, me trouxeram uma alegria enorme. 

Hoje, 16 anos depois, posso refletir mais sobre as escolhas feitas. Ao me inscrever, talvez o que mais me motivasse fosse a dificuldade da coisa. Estar entre os 30 escolhidos após as mais de 9.000 inscrições, fazia um jovem imaturo sentir-se especial, vitorioso. A mítica criada durante os 2 meses de testes a que fomos submetidos, ajudava a alimentar o sentimento de “sou o cara e, quem está falando é uma instituição de renome”. 

Como dica, caro leitor, avalie o que está motivando você a fazer suas escolhas. Realmente quer trabalhar naquela empresa? Está apaixonado pelo processo seletivo? Quer os holofotes que serão ligados nos escolhidos? Ou você precisa de um estágio e a empresa que chamar você primeiro, “tá valendo”? Pense com cuidado na sua escolha. Se pudesse voltar, eu teria escolhido uma empresa cuja minha presença fosse fazer a diferença.

Digo isso, pois depois do êxtase da vitória, vem a dureza da vida real. O grupo de futuras promessas do banco torna-se rapidamente mão de obra barata, preparada e que topa tudo para ter a chance da efetivação. Lembro de uma moça muito inteligente e articulada, cursando uma das escolas mais concorridas no país, ser alocada para validação de planilhas. Todo dia a via reclamando, pois Relações Internacionais na perspectiva dela era maior do que identificar depósitos perdidos vindo do exterior.

8 meses depois, por mais que meus líderes diretos se esforçassem, decidi renunciar a minha “conquista” e sair do banco. Morar em São Paulo, gastando toda minha bolsa com moradia, transporte e alimentação, não era compensador para mim. A expectativa que criei foi alta demais, ou, avaliando sob o olhar de hoje, o que me encantou foi apenas conseguir algo tido como difícil. A minha paixão não era pela empresa em si, ao escolher o programa, mas pelo selo de reconhecimento que a aprovação me proporcionava.

Por isso, pense bem. Escolha trabalhar naquilo que gosta. Digo, pois tempos depois resolvi mudar de carreira e acabei sendo convidado para iniciar uma empresa do nada com um dos meus professores. Por mais que não ganhasse nada, sim, nada, conversávamos todos os dias sobre como construir uma empresa de educação. Na sala da faculdade, discutíamos como o conteúdo que tínhamos acesso poderia ser disseminado para o maior número de profissionais.

Era prazeroso ouvir suas histórias de aplicações de metodologias para solução de problemas. De trigo na fórmula de um preservativo até planejamento de uma agência de Inovação, passando por pelo menos 20 pequenas empresas que se aventuraram em meu primeiro programa de mentoria. Nessa empresa, por mais que fosse taxado de aventureiro, senti que eu fazia a diferença. Cada sacada, esforço, estudo, relacionamento, impactava em nosso resultado final.

Por isso, se você é como eu, faça seu estágio onde seu trabalho irá fazer a diferença. Trabalhe numa posição em que você conseguirá instituir um verdadeiro legado, não sendo mais um número ou apenas uma mão de obra barata. Eu sei, é difícil falar aos conhecidos numa mesa de bar que está estagiando na XPTO ME ou Ltda, principalmente quando um colega está numa grande companhia. É doloroso olhar a autoridade que isso irá conferir ao seu colega. Entretanto, se tivesse ouvido a minha verdadeira essência e não o meu “ego” e algumas pessoas próximas, teria economizado 10 anos na minha vida profissional.

Além de economizar, teria sofrido bem menos. O custo do status de uma grande companhia me custou muito, mesmo quando saí. A sensação de fracasso de não seguir o “caminho do sucesso” e optar por construir algo do zero me acompanhou por longos anos. Por isso, avalie os reais motivos que o farão escolher onde irá trabalhar. E, caso não esteja satisfeito, mude. 

Para encerrar essa carta, desejo toda sorte e paz do mundo no seu caminho profissional. Aproveito também, para colocar nossos cursos à sua disposição para turbinar suas chances de alcançar a vaga que deseja. Seja startup, estatal, governo, grande companhia, pequena empresa, firma, boteco, enfim, coloque sua meta e busque-a incansavelmente, não dando ouvidos ao “ego” e aos amigos que pensam ser sua tarefa viver a vida deles. 

Grande abraço e ótimo 2022

Virgilio F. M. dos Santos

Publicado originalmente no Linkedin

Processando…
Sucesso! Você está na lista.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.