A meia-vida do dinheiro

Foto por Miha Corni em Pexels.com Radioativos e radioativas, saudações! Em Química, existe um conceito que atende pelo nome de meia-vida. Segundo o dicionário, meia-vida é o intervalo de tempo necessário para que a quantidade inicial de átomos seja reduzida à metade, numa reação física ou química. Traduzindo: a cada período de tempo, o elemento … Continue lendo A meia-vida do dinheiro

Bitcoin e inflação

Foto por Worldspectrum em Pexels.com Saudações, inflacionários e inflacionárias! O dinheiro fiduciário é inerentemente inflacionário. Mesmo o Japão, conhecido por ser um país com inflação extremamente baixa, e as vezes até mesmo tendo deflação, já viu o poder de compra da sua moeda derreter há tempos. Veja os gráficos abaixo. Eles representam o quanto cada … Continue lendo Bitcoin e inflação

Moeda não é investimento!

Nesses tempos de crises e criptomoedas, não é incomum ouvir que "fulano investiu em Bitcoin e rendeu 3.000%", "um cara investe em dólar e está rendendo mais do que qualquer renda fixa", ou qualquer variação dessas frases. O problema é um só: moeda não é investimento! De novo: moeda não é investimento! Mais uma vez, … Continue lendo Moeda não é investimento!

O Graal dos Investimentos Bem Sucedidos – Parte 2 – Das Classes de Ativos

Para ler o primeiro artigo desta série, clique aqui. $$$$$$$ No primeiro artigo desta série vimos como até mesmo alguns dos maiores defensores da concentração dos investimentos em apostas específicas praticam, em diferentes graus, a diversificação de seus portfólios. Neste artigo, falaremos um pouco sobre as diversas classes de ativos à disposição do investidor comum no Brasil, … Continue lendo O Graal dos Investimentos Bem Sucedidos – Parte 2 – Das Classes de Ativos

A importância da diversificação (ou porque não colocar todos os ovos na mesma cesta)

Nunca coloque todos os ovos na mesma cesta. Todo mundo já ouvi este ditado popular alguma vez. Mas o que isso tem a ver com o mundo dos investimentos e das finanças? Vamos voltar no tempo para que eu possa explicar. Era março de 1990. O presidente do Brasil era Fernando Collor de Mello, e … Continue lendo A importância da diversificação (ou porque não colocar todos os ovos na mesma cesta)